A Voz das Camaradas

O vestido foi criado por Regina Frank em 2003 (há 2x7 anos) re-encenando uma caminhada pública durante a Bienal de Escultura ao ar livre em Darmstadt, Alemanha. Este FreeFallDress (Vestido Queda-Livre) feito a partir de um pára-quedas simboliza a transição e a liberdade dentro de uma equipe bem coordenada. As 5 saídas com uma saia simbolizam cinco elementos baseados na filosofia budista (quatro elementos: terra, fogo, água e ar com um quinto elemento livre: a ausência de todos). O vestido é branco, que representa a junção de todas as cores.
Juntas distribuem pétalas de cravos como um símbolo da revolução portuguesa, a primeira e única revolução pacífica da História escrita. Em vez de disparar tiros, os soldados colocaram cravos nos canos das suas armas, um ato corajoso que expressa a resistência pacífica e criativa. Mas as flores também são simbólicas pelo facto de que é preciso um ser (uma ideia) e as suas pétalas (o seu povo) para trabalhar. Em inglês, o cravo está contido na palavra reencarnação, um processo de renascer em várias formas de vida. Em português, a palavra cravo está contida no escravo, e é uma escolha interessante para uma flor que simboliza a liberdade. O cravo vermelho é usado no movimento feminista na Alemanha e no dia das mulheres simboliza a igualdade de direitos e a sua libertação desde 19.03.1911. É também um símbolo do movimento trabalhista desde 1889 na Alemanha e na França, um sinal secreto de solidariedade do Estado com o partido socialista e a sua luta pelos direitos trabalhistas essenciais que hoje são regulados pela lei.
Regina Frank, que costumava trabalhar sob o lema “The Artist is Present” desde 1989 até 2017 mudou o seu título para “The Heart is Present” e “The Art is Present” depois de Marina Abramoviç ter usado “The Artist is Present" no MOMA.